Design sem nome

O Parque Tecnológico Botucatu assinou, nesta quarta-feira (28), contrato com mais uma empresa. Trata-se da BirdView, que presta serviços de aplicação de biodefensivos (vespas do gênero Trichogramma) através de drones. Ela também atua no monitoramento de culturas, via satélite, com objetivo de localizar áreas com a presença de pragas e doenças.

 

“Nossa chegada ao Parque Tecnológico significa um grande avanço para a empresa. A localização privilegiada da Cidade, bem como o acesso promovido pelo Parque junto a renomada e ativa comunidade científica de Botucatu certamente nos permitirá crescer, aumentar nosso quadro de colaboradores, além de aumentar bastante nosso campo de pesquisa e desenvolvimento aplicado ao agronegócio”, avalia Ricardo Antonio de Oliveira Machado, engenheiro e um dos sócio proprietários da Birdview.

 

De acordo com a empresa, as vantagens deste tipo de serviço são inúmeras. Desde obter maior eficiência na prevenção e controle de pragas e doenças em lavouras, de forma homogênea, até a redução de custos e possíveis riscos se comparado a outros procedimentos de manejo dentro do agronegócio. Desde 2014, quando a empresa foi criada, mais de 25 mil hectares de área já foram monitorados. Principalmente em plantações de cana de açúcar, citros e milho.

 

“Completamos no próximo dia 14 de abril três anos. Mesma data de aniversário de Botucatu. Então, para nós, tudo isso é bastante emblemático. Especialmente por este atual momento que o Parque Tecnológico vive, que é de colher frutos resultantes de uma gestão realizada em parceria com os principais atores do nosso ecossistema de inovação. Mas nosso trabalho não para. Queremos em breve formalizar mais contratos com outras novas empresas, que irão agregar ainda mais neste processo de consolidação”, afirma o diretor do Parque Tecnológico Botucatu, Carlos Costa.

 

Sobre o Parque Tecnológico

Além da Birdview, o Parque Tecnológico Botucatu conta com outras quatro empresas em seu Núcleo Administrativo (BPI - biologia molecular; Omics - terapia celular regenerativa; Solutudo - tecnologia da informação e comunicação; Água da Mata - fertilizantes orgânicos). Além de outras quatro que compartilham o Espaço Coworking (Terra Céu - tecnologia ambiental; NiX42 - desenvolvimento de aplicativos mobile; RbTec - desenvolvimento de softwares; e Nutrir Orgânicos - soluções para agricultura orgânica).

 

Este ano, o Parque Tecnológico atualizou o edital de seleção de projetos para a concessão de áreas de terrenos, disponibilizando pouco mais de 23.000m², divididos em 19 lotes. Três deles foram recentemente concedidos à Mega Whip – Indústria e Comércio de Chicotes Elétricos, primeira empresa autorizada a construir uma unidade fabril dentro do Parque Tecnológico, que ainda conta com uma área de 33.000m² reservada à construção de um Centro Empresarial de 6.000 m² e uma segunda área, de 219 mil m², reservada para expansão.

 

Paralelamente, o Parque Tecnológico Botucatu faz a gestão de duas incubadoras da Cidade: Incubadora Botucatu [Vila São Benedito] e da Prospecta [câmpus da Fazenda Lageado - FCA/Unesp]. São ambientes que abrigam empresas nascentes para proporcionar elementos básicos à viabilização, operacionalização e desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços com vistas ao desenvolvimento local, regional e nacional.


Inaugurado em 14 de abril de 2015 e credenciado no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec) em 2016, o Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais, logística, Tecnologia da Informação e Comunicação, entre outras.



Serviço

Parque Tecnológico Botucatu
Rodovia Gastão Dal Farra km, 7+184m
Tel.: (14) 3813-4659
E-mail: contato@parquetecnologicobotucatu.org.br
Site: http://parquebtu.org.br/